13602426

(1 hora e 24 minutos. Faz frio na estação. Ele sente-se só. Ele está só. Ele pensa. Comboio chega à hora marcada. Ele entra no comboio. Ele vai sozinho na carruagem. Ele está sozinho.)

 

– 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426… – sussurra na esperança de as paredes não ouvirem.

 

(Telefone toca. Ele atende. Ele é cordial. Ele desliga.)

 

– 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426… – e desta vez a voz sobrepõe-se à timidez.

 

(Comboio chega à estação. 1 hora e 44 minutos. Está inteiramente desamparado. Acelera o passo. Está escuro na rua.)

 

– 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426, 13602426… – grita com a plenitude dos seus pulmões.

 

(Caiem duas lágrimas. Embarga-se a voz)

 

– 13602426… – já não o consegue repetir mais.

 

(Chega a casa. Fecha a porta com toda a força. O que se passou na rua, ficou na rua. Está triste. Está miseravelmente triste. Pára três segundos. Olha em frente.)

 

– Olá mãe. Então o dia, correu-te bem? – ele, sorri.

Advertisements

~ by marlonfrancisco on April 11, 2008.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: